Ex-secretário é suspeito de envolvimento com extorsão

0
220

O ex-secretário do governo de Pedro Serafim em Campinas, Alcides Mamizuka e a ex-jogadora de basquete e ex-vereadora de Jaguariúna, Karina Valéria Rodrigues, são investigados pelo Ministério Público. Eles são suspeitos de participar de uma quadrilha que praticaria o crime de extorsão em prefeituras da região. Além deles, estariam envolvidos três advogados, sendo um deles, Fabiano Panattoni, que é marido de uma ex-promotora do Gaeco. Também há suspeita de envolvimento de um policial civil.

O ex-secretário Alcides Mamizuka confirmou que houve cumprimento de mandados na residência dele nesta terça-feira (01/04) em busca de documentos de advogados, entre eles de Panatonni. Mamizuka diz que conhece o advogado, mas que não mantém contato com ele e negou qualquer envolvimento com o esquema de extorsão.

Ao todo foram cumpridos pelo menos 11 mandados de busca e apreensão. Dois dos suspeitos, entre eles Panatoni, chegaram a ser presos por receptação e porte ilegal de munição, mas foram liberadores após pagamento de fiança.

A suspeita é que a quadrilha usasse documentos falsos para extorquir administrações municipais, usando o nome do Gaeco. As prefeituras de Jaguariúna e Monte Mor confirmaram que foram vítimas de tentativa de extorsão.

O Secretário de Relações Institucionais de Monte Mor, Miguel Padilha, afirmou que prefeito, Thiago Assis, foi procurado por uma pessoa que apresentou documentos que seriam do MP com nomes de secretários. Padilha diz ter tido contato com a documentação no escritório de Fabiano Panattoni. Eles pediam R$ 130 mil para impedir uma suposta investigação da administração e Panottoni teria ameaçado dizendo ser marido de uma promotora do Gaeco.

Além do Secretário, Miguel Padilha, o responsável pela de pasta de Segurança, Adelício Paranhos, também teria sido extorquido. Ele chegou a gravar o encontro em que o advogado fazia ameaça. A gravação foi entregue ao Ministério Público.

O advogado Fabiano Panattoni esteve na corregedoria nesta terça-feira, mas não quis dar entrevistas sobre as denúncias. A ex-jogadora de basquete, Karina Valéria Rodrigues não foi encontrada para comentar o caso.