HC da Unicamp suspende internações na UTI infantil

0
143

O HC da Unicamp suspendeu temporariamente por 72 horas as internações de crianças com quadros respiratórios graves por causa da superlotação da UTI pediátrica e também da enfermaria. A medida foi tomada nesta quarta-feira. Com capacidade de 10 leitos, atualmente a unidade tem registrada a internação de 21 pacientes nessa situação. Neste período do ano, é comum o aumento de casos de bronqueolite, uma doença respiratória que pode agravar principalmente a saúde de bebês com menos de um ano de idade. A direção do Pronto Socorro Infantil informou que as equipes médicas, de enfermagem e de fisioterapia estão sobrecarregadas e que caso novas internações aconteçam, poderão prejudicar a qualidade do atendimento.

Pacientes com doenças respiratórias têm o quadro agravado durante o período mais seco do ano e normalmente necessitam de equipamentos para suporte terapêutico, sendo o principal o ventilador mecânico. A partir de março, é comum haver um aumento de até 30% na busca por atendimento em virtude da doença, mas neste ano, o índice cresceu 100%, o que impossibilita novas internações. O paciente que procurar o atendimento durante este período receberá assistência médica, mas a chefe da unidade pediátrica do HC, Antônia Teresinha Tresoldi, afirma que a qualidade do serviço será prejudicada por causa da superlotação. Ela ainda faz um alerta à população para que não procurem a unidade durante este período de suspensão das internações. O coordenador da emergência pediátrica do HC da Unicamp, Marcelo Reis, disse que desde que foi inaugurado há 30 anos, o Hospital das Clínicas nunca passou por esse problema de superlotação. Ele afirma que a medida foi tomada numa tentativa de normalizar a situação e garantir o atendimento adequado para as crianças que estão internadas na unidade.

O HC informou que está empenhado em normalizar o atendimento na UTI infantil o mais rápido possível. A secretaria de saúde de Campinas informou que todos os serviços do município vão manter as portas abertas e a coordenadoria de Urgência e Emergência está monitorando a situação.

 

DEIXE UMA RESPOSTA