Black Music Carioca nos anos 70

0
261

 

Batizar um gênero musical que tem uma sonoridade diferente do nome pode atrapalhar na hora da comunicação.

É o que acontece há algum tempo no Brasil, onde a música que nasceu  nos morros do Rio de Janeiro é chamada de funk.

O problema é que esse som feito a base de um único equipamento não tem nada a ver com o original desenvolvido pelos negros americanos.

Uma saída normalmente usada é chamá-lo de funk carioca, mas aí a injustiça passa a ser interna, pois no auge dos bailes black, isso na década de 70, vários artistas da cidade maravilhosa fizeram jus ao título funk, mesmo com pouco reconhecimento.

Banda Black Rio

A banda Black Rio não ficava devendo nada aos grupos americanos.

Com pelo menos 7 integrantes, ela tinha tudo o que era preciso para garantir um funk de qualidade.

Uma boa linha de metais, o riff da guitarra, o contratempo do baixo, o teclado dando um brilho e a bateria marcando o ritmo. Todo esse swing era enriquecido com pitadas de brasilidade e o samba entrava nessa mistura

Gerson King Combo no estilo de James Brown
Gerson King Combo no estilo de James Brown

Gerson King Combo era chamado de James Brown brasileiro por causa do jeito de dançar e das capas que usava, além do som pesado.

Nascido Gérson Cortes, ele criou esse personagem após ver de perto a cena black  nos Estados Unidos, aonde ele foi cantar acompanhando Wilson Simonal.

Acompanhe

 

entre em contato :

robson@cbncampinas.com.br

produção

Walmir Bortoletto

edição

Paulo Girardi

 

DEIXE UMA RESPOSTA