Pró-Saúde registra B.O contra a Prefeitura de Sumaré

0
330

A falta de pagamento de uma dívida que chega a R$ 10,6 milhões, levou a organização Pró-Saúde, que administra a contratação de médicos em Sumaré, registrar um Boletim de Ocorrência Policial contra a prefeitura. A entidade alega descumprimento de contrato por parte da administração municipal. O B.O foi registrado na tarde desta quarta-feira. A dívida, segundo a empresa, impede o pagamento de serviços médicos, funcionários, fornecedores e compras de insumos. Só para se ter uma ideia,  o pagamento salarial de setembro do ano passado, o último a ser quitado, foi pago em várias parcelas em diferentes datas. Os médicos que atuam na UPA do Jardim Macaranko e PA do Matão , estão a três meses em greve por atraso de salários. Na última terça-feira, a administração municipal informou na que uma comissão irá analisar o contrato entre município e instituição. A previsão é de que uma solução para a greve ocorra em até 30 dias. A administração alegou também que os repasses não foram feitos corretamente pela gestão anterior, e se compromete a normalizar os acertos de serviços realizados a partir deste ano.

DEIXE UMA RESPOSTA