HC da Unicamp bate recorde de transplantes em 2016

0
350

Com 351 transplantes de órgãos ao longo de 2016, o Hospital de Clínicas da Unicamp quebrou o próprio recorde de cirurgias feitas em um ano. A marca é a maior da instituição, que começou a fazer procedimentos deste tipo em 1984 e que havia registrado o maior volume em 2010, com 326.

O número reafirma a unidade como referência e coloca o hospital na liderança estadual e entre os dez que mais realizam transplantes no País. Para a responsável técnica pelo programa de transplante renal, Marilda Mazzali, o resultado é fruto de um esforço conjunto em diversos setores.

Além do trabalho feito nas unidades de terapia intensiva do HC, ela afirma que a conscientização da família de pacientes falecidos é muito importante. Por esse motivo, pede para que a doação de órgãos esteja sempre em pauta entre os parentes para que as filas por transplantes sejam sempre menores.

Do total de 351 procedimentos feitos ao longo do ano passado, 136 foram de rins, 132 de córnea, 47 de fígado, 37 de medula óssea e oito de coração. Com esses dados, o HC chegou a um total de 6,2 mil processos de transplantação e prevê mais um ano com um volume grande de cirurgias.

Uma delas aconteceu no dia 12 de março e deu uma vida nova para Sebastião Cordeiro, de 37 anos e morador da cidade de Várzea Paulista. Depois de quatro anos de uma rotina intensa e cansativa de viagens, com várias sessões de diálise e hemodiálise, ele finalmente recebeu um novo rim.

Dos dez tipos de órgãos e tecidos que podem ser transplantados, o HC não realiza os de intestino, os de válvula cardíaca, além de ossos e pulmões. Neste último caso, porém, equipes especializadas já estão em treinamento na Espanha e a previsão é de que as cirurgias sejam feitas nos próximos anos.

DEIXE UMA RESPOSTA