Pediatra faz orientação para evitar engasgamentos

0
174

Os casos de sufocamento ou da chamada morte súbita em bebês recém-nascidos são raros, mas exigem atenção redobrada dos pais e responsáveis. Ainda assim, o pediatra Alfredo Daniel Lopes pede calma ao fazer uma série de orientações. Segundo ele, mesmo que a criança esteja engasgando, por exemplo, é necessário que o adulto espere para perceber se a situação exige alguma medida extrema, ou de emergência. Não é indicado chacoalhar, ou assoprar o rosto da criança.

Ele ainda afirma que as manobras de salvamento variam de acordo com a idade. A partir disso, é importante que os pais ou responsáveis busquem orientação junto aos pediatras para realizar o procedimento correto, para evitar lesões. Outros cuidados devem ser observados na alimentação. O principal é para que a amamentação ocorra até os seis meses de vida. Ainda assim, é comum a ocorrência de vômito, situação que requer atenção principalmente no sono.

O sufocamento é uma das principais causas de morte entre recém-nascidos. A outra é a chamada morte súbita, na qual a maior dica é para que a criança seja colocada no berço de barriga pra cima justamente para facilitar a respiração. No último dia 8, uma bebê de quatro meses morreu em uma creche de Campinas. Ela chegou a ser levada ao hospital, mas não resistiu. A declaração de óbito aponta morte por broncoaspiração maciça por alimento.

DEIXE UMA RESPOSTA