Ato critica gestão da Saúde e fecha a John Boyd Dunlop

0
73

Um grupo formado por cerca de 100 pessoas realizou um ato público em frente ao Hospital Celso Pierro da PUC Campinas contra a gestão da Saúde municipal. O protesto começou pouco depois de 18h20, e fechou por cerca de 40 minutos a pista da Avenida John Boyd Dunlop no sentido centro. O trânsito ficou lento.

O movimento foi organizado pelo Conselho Municipal de Saúde, pelos alunos de Medicina da PUCC e pelo SinSaúde. Em pauta, cortes e medidas da Prefeitura.

Eles criticam a redução no repasse à unidade – de R$ 11 milhões para cerca de R$ 9,2 milhões –, que foi atribuída pelo Executivo à crise financeira na cidade. Odair Pires trabalha há 15 anos no hospital e integra a entidade que representa a categoria. Para ele, a diminuição coloca em risco o atendimento e o trabalhador.

O corte foi usado como justificativa pela direção do Celso Pierro para o referenciamento no pronto-socorro, priorizando urgências e emergências. A medida passou a valer em novembro, dois meses depois do início da transferência do novo valor, considerado insuficiente pela instituição.

Além de criticar o aporte, um dos organizadores do ato, o estudante Vinícius Henrique Pinto, reclama do modelo das organizações de saúde no município. Como exemplo, cita a Vitale, que administrava o Hospital Ouro Verde e é investigada pelo Ministério Público por indícios de desvio de verbas.

 

A Secretaria de Saúde de Campinas informou que o que ocorreu no convênio entre a Pasta e o Hospital Celso Pierro foi uma revisão no volume de serviços prestados e não de valores. E que atualmente, o teto é de R$ 9,1 milhões.

O comunicado diz que o limite até agosto era de R$ 11,2 milhões, valor que nunca foi atingido pela instituição. Além disso, informa que os serviços que deixaram de ser prestados foram absorvidos pela rede municipal de saúde.

Em relação ao modelo de OS, alega que a Prefeitura encaminhou para a Câmara de Vereadores um projeto de lei que cria a “Rede Mário Gatti”, que vai integrar os hospitais e o Sistema de Urgência e Emergência do município.

DEIXE UMA RESPOSTA