Campanha mostra como o consumo poderia ser mais acessível à população com tributações mais baixas

0
44

O Sindicato dos Agentes Fiscais de Rendas do Estado de São Paulo realiza a 2ª edição da campanha Pobre Paga Mais. A proposta é fazer uma reflexão a respeito dos motivos da alta taxa de impostos para menores rendas e o maior peso dos tributos sobre itens de consumo básico.

O foco da ação é a comparação das altas cargas de impostos sobre o consumo enquanto a lógica é outra para grandes riquezas e patrimônios. No estado de São Paulo roupas ou até mesmo refeições fora de casa, são tributados em alíquotas que podem variar de 12 a 18%, enquanto a tributação em grandes heranças é fixa, de 4%.

O Diretor de Comunicação do Sindicato dos Agentes Fiscais de Rendas do Estado de São Paulo, Leandro Ferro, comparou também a tributação para a internet e um iate, por exemplo

Além das diferenças dos impostos entre o consumo cotidiano e dos grandes patrimônios, outro tema de debate é a questão da essencialidade dos tributos, ou seja, por quê alguns itens são considerados supérfluos, e outros não. De acordo com a constituição, tributos para itens de consumo básico devem ser menores, justamente para facilitar o acesso da população.

Para Leandro Ferro, precisa de vontade política para a desoneração dos tributos no Brasil. Outras informações da campanha podem ser obtidas no site pobrepagamais.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA