‘AME Laurinha’ tem vitórias, com ida da menina para casa após 100 dias de internação

0
98

Em oito de dezembro, a família de Ana Laura Araújo lutava para conseguir o direito do serviço de Home Care à menina de um ano, que estava há 90 dias internada no Hospital Augusto de Oliveira Camargo (HAOC) de Indaiatuba. A notícia de hoje é a esperada. Laurinha foi para casa e nós nos reencontramos com ela e com a mãe Taísa de Aráujo Silva.

Laurinha tem AME, uma doença genética, rara e degenerativa, também conhecida como atrofia muscular espinhal.

O convênio do hospital se negava a pagar o serviço de atendimento domiciliar, mas uma decisão da justiça no final de 2017 determinou o serviço de home care e hoje, a paciente é atendida por uma equipe multidisciplinar, 24 horas por dia.

Em casa, Laurinha tem um quarto só dela, todo arrumado, com tons rosa, muitas bonecas e brinquedos bem coloridos. No meio disso tudo e muito mais conforto, dá perceber a alegria da criança no olhar.

Talvez também não tenha sido por acaso, mas a família teve outra boa notícia. Nesse início de janeiro, Laurinha conseguiu as primeiras doses do remédio essencial para o tratamento.

E de fato, a luta vai ter que continuar. Apesar das doses que o governo do estado vai repassar, o primeiro ano de tratamento exige seis doses. Faltam, portanto, duas. Cada um custa cerca de R$ 300 mil.

Desde que Laurinha foi diagnosticada com AME, a família realiza campanhas para doação e venda de produtos revertidos aos cuidados da menina, mas o dinheiro ainda é insuficiente e os gastos são constantes.

 

Quem quiser ajudar, com qualquer quantia, pode depositar em uma das contas-poupança abertas em nome da menina Ana Laura Araújo de Souza e também nas páginas “AME Laurinha”.

Dados

As contas foram abertas nos bancos Itaú (agência 4985, conta-poupança 14668-9 500), Bradesco (agência 2698, conta 1001498-0) e Caixa Econômica Federal (agência 2996, conta 013 003 1126-3). CPF é o 518.260.188-32.
Contatos: (19) 9 9321-0595 e (19) 9 9988-6859