Lei permite que suspeitos de desvios tenham bens recolhidos antes de condenação

0
86

A investigação sobre um suposto esquema de desvio de dinheiro público do Hospital Ouro Verde, em Campinas, ainda não chegou ao fim. Mesmo assim, o Ministério Público pediu o bloqueio e a venda de bens de seis pessoas suspeitas do crime financeiro. Foram recolhidos dinheiro e carros de luxo. A advogada Maria Isabel Bermudez, especialista em Direito Criminal, explica que a lei permite o bloqueio de bens mesmo antes da condenação dos acusados.

Segundo a advogada, mesmo com o pedido do MP, os réus podem tentar reaver os bens com a Justiça antes de uma eventual condenação.

Os seis réus foram detidos em novembro de 2017. Os bens bloqueados a pedido do Ministério Público chegam a R$ 15 milhões. Até o momento, os desvios encontrados pela Operação Ouro Verde são de R$ 4,5 milhões no período em que a empresa Vitale administrava o hospital. Enquanto não são vendidos, os carros ficam em pátios e o dinheiro depositado em juízo.