Procon aponta que pouco mais de 10% dos veículos chamados para recall realizaram o conserto

0
102

Um levantamento feito pelo Procon, com base em pesquisa no Banco de Dados de Recall, apontou que apenas 12,82% dos veículos chamados nas campanhas realizadas no 1º semestre deste ano compareceram as concessionárias para realizar os reparos que envolvem risco de acidentes. Para o órgão, este é um dado preocupante, uma vez que os recalls somente são realizados em casos de defeitos que colocam em risco a saúde e a segurança do consumidor.

Dados anteriores a 2016 também demonstram que o brasileiro dá pouca importância ao recall devido ao baixo índice de comparecimento. Em muitos casos os riscos são graves, entre eles incêndio do veículo, perda do freio, perda da dirigibilidade e até lançamento de fragmentos metálicos nos ocupantes do veículo podendo causar ferimentos graves e até mesmo a morte. Dos recalls realizados desde 2002, apenas 50% dos proprietários compareceram para os reparos.

No período de 2002 a 2015 foram chamadas 724 campanhas de recall, totalizando 11.302.987 veículos. Para o Procon, a baixa procura se deve tanto pelas fracas campanhas realizadas pelas montadoras quanto pela falta de informação dos consumidores em relação ao recall. O consultor automotivo, César Urnhani, lembra que durante um processo de recall, a montadora faz o conserto do veículo gratuitamente, mas isso não tira a responsabilidade dos proprietários dos veículos. César Urnhani fez ainda um alerta para a população. Segundo ele, não é verdade que o recall envolve apenas carros novos.

O consumidor deve ficar atento e, caso o chassi de seu veículo tenha sido incluído no chamado, é importante seguir a recomendação do fornecedor e comparecer ao local indicado com os documentos do veículo e de identificação com foto.