Um mandado judicial foi cumprido em Campinas durante a Operação Custo Brasil

0
533

Foi ouvido na manhã dessa quarta-feira um homem na Polícia Federal de Campinas, cujo nome não foi revelado, em cumprimento de mandado de condução coercitiva, que tem relação com a operação que levou à prisão o ex-ministro das Comunicações de Dilma e Lula, Paulo Bernardo.

É o único mandado do interior nessa operação relacionada ao desmembramento da 18a fase da Lava Jato, denominada Custo Brasil. No geral, são 11 mandados de prisão, 40 de busca e apreensão e 14 de condução coercitiva, em 4 estados, São Paulo, Rio Grande do Sul, Pernambuco e Paraná e DF.

Um dos mandados de busca foi cumprido na casa da senadora Gleisi Hoffmann, em Curitiba. A Polícia Federal indiciou Gleisi Hoffmann (PT-PR) e o marido dela, Paulo Bernardo, no inquérito sobre as suspeitas de desvio de verba da Petrobrás para financiar em 2010 a campanha ao Senado de Gelisi.

Esse desmembramento da 18ª fase da Lava Jato tem relação com a região de Campinas por ter partido da delação do ex-vereador de americana, Alexandre Romano, do PT, em uma operação deflagrada após suspeita de pagamento de propina em contratos de prestação de serviços de informática no valor de R$ 100 milhões entre 2010 e 2015.

Os beneficiários nos pagamentos seriam pessoas ligadas a funcionários públicos e agentes públicos do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Policiais federais também estão na sede do PT no Centro de São Paulo. Os presos e o material apreendido foram encaminhados à sede da Polícia Federal, na capital paulista.