Inverno preocupa Hemocentro por ser um período crítico para a coleta de sangue

0
59

O inverno, assim como as férias e festas de fim de ano, está entre os períodos mais críticos para a coleta de sangue, quando os estoques correm o risco de ficarem baixos. Por isso, desde 2016, Campinas criou em seu calendário oficial campanhas em Junho e Julho visando a conscientização sobre a doação de sangue. Em Campinas, o Hemocentro da Unicamp é um dos principais postos de coleta e atende uma área de 127 cidades do estado de São Paulo, região que tem aproximadamente 8 milhões de pessoas.

De acordo com o Diretor do Serviço de Coleta do Hemocentro, Vagner de Castro, as campanhas contribuíram para elevar o estoque de Junho em relação a Maio, mas ele afirma que nesse setor não existe zona de conforto. No centro de coleta do Hospital Mario Gatti, o segurança Roberto Gomes acordou cedo e enfrentou as baixas temperaturas para contribuir com a campanha. Paloma Domingues também soube da necessidade de doadores nessa época do ano e foi ao Hemocentro da Unicamp fazer sua parte.

Gustavo Isaías, além de doador, é médico, e garante que a doação é segura, e que apenas em casos raros o doador pode sentir um desconforto e mesmo assim, muito leve. Podem doar, pessoas com boa saúde, entre 18 e 65 anos, com mais de 50kg. Não pode doar quem estiver gripado ou resfriado, pessoas que realizaram cirurgia recentemente, quem fez tatuagem ou colocou piercing nos últimos doze meses, teve hepatite depois dos 10 anos, tem problemas cardíacos, renais, pulmonares, diabetes, câncer, doenças infecciosas e pressão alta.

Antes da doação, é feita uma avaliação, com a realização de exames e testes sorológicos. Foi montado um cronograma de coleta para facilitar a doação em diversas cidades da Região Metropolitana de Campinas. O cronograma pode ser consultado no endereço eletrônico: www.hemocentro.unicamp.br