O pagamento das cotas do PIS começou nesta semana para correntistas da Caixa que trabalharam com carteira assinada entre 1971 e 4 de outubro de 88. E a liberação do dinheiro para os saques gera preocupação entre a população que frequenta as agências bancárias. O temor é pelo risco de roubos e assaltos.

Os entrevistados são unânimes ao afirmar que se sentem vulneráveis e expostos ao entrar, sair e até mesmo passar perto de um estabelecimento bancário. Mariana Castro e Cintia Silva dizem fazer todas as operações com atenção. Mesmo assim, em dias com grande movimentação, o temor é inevitável. O aposentado Alcides Guriel vai além e entende que não é possível garantir a segurança dos moradores o tempo todo, já que o perigo existe em todo lugar.

Com a primeira etapa direcionada aos correntistas da Caixa, o pagamento do PIS segue pelas próximas semanas para os clientes de outros bancos. Os valores estão liberados para mais de 20 milhões de brasileiros. O total ultrapassa R$ 29 bilhões, que poderão ser sacados até o dia 28 de setembro.

Tem direito o trabalhador cadastrado no PIS/PASEP entre 1971 e 4 de outubro de 1988 que ainda não sacou o saldo total na conta individual de participação. O saque das cotas será efetivado após a confirmação nas agências da Caixa, ou através do site www.caixa.gov.br/cotaspis e o aplicativo Caixa Trabalhador.

Em nota a Secretaria de Segurança Pública de SP informou que a Polícia Militar realiza o patrulhamento nas regiões citadas utilizando diversos programas como Radiopatrulhamento, Ronda Escolar, Rocam, Força Tática.

Disse ainda que o policiamento é dinâmico e analisado constantemente de acordo com os índices criminais. Nos seis meses deste ano, as ações integradas das polícias resultaram na queda de 36,2% dos roubos e 11,6% dos furtos, na área do 1º DP, em comparação ao mesmo período do ano anterior. Além disso, 206 pessoas foram presas e seis armas de fogo ilegais retiradas das ruas.

A Guarda Municipal também foi questionada mas não respondeu até o fechamento.