O governador de São Paulo e candidato à reeleição, Márcio França, do PSB, anunciou o projeto de um trem entre Campinas e a Capital Paulista. A intenção é oferecer a partir de 2019 quatro viagens diárias com capacidade para mil pessoas cada uma entre a Estação Cultura e a Estação da Luz.

O percurso vai aproveitar a ferrovia já existente e os trens da CPTM, que atualmente já fazem diariamente o trajeto entre Jundiaí e São Paulo. Para isso, pelo menos 50 km de trilhos devem ser eletrificados pela concessionária Rumo Logística para que a viagem tenha duração de 1h30. De acordo com França, o projeto não compõe o Trem Intercidades, plano que envolve outros municípios, está no papel desde 2013 e segue em fase de estudos.

O anúncio foi feito pelo governador do estado em Louveira, após uma viagem experimental que partiu de Campinas em um trem com velocidade baixa. No trajeto, França foi acompanhado pelos secretários de estado de Transportes, Clodoaldo Pelissioni, e de Logística, Mário Mondolfo, e ainda deputados.

O prefeito de Campinas, Jonas Donizette, do PSB, que também esteve no trem, considera a opção viável para quem trabalham todos os dias na Capital. Ele diz que a estimativa é que 60 mil pessoas façam esse percurso todos os dias pelas rodovias e afirma que a ideia em médio prazo é incluir Viracopos.

O custo específico para as adaptações, o nivelamento e a eletrificação da malha não foi detalhado, mas está dentro de um investimento de R$ 5,4 bilhões. O valor deve ser aplicado dentro da concessão em diversos pontos da ferrovia. Entre eles, o transporte de cargas entre o porto de Santos e resto do estado.