Campinas e cidades da região foram alvo de uma operação deflagrada pela Secretaria da Fazenda nesta sexta-feira, que investiga a suspeita de sonegação em operações de remessas com fins de exportação. A Operação Desvio de Rota ocorre simultaneamente em 113 empresas distribuídas em 59 municípios paulistas. Essas empresas teriam movimentado, de 2014 a 2017, R$ 470 milhões em operações de exportação, que são isentas de ICMS.

No entanto, sem a comprovação efetiva do embarque dessas mercadorias ao exterior. São mercadorias, como alimentos, calçados, máquinas e derivados de metal, que teriam sido entregues fisicamente dentro do próprio país, mas com a emissão de um código específico de exportação na nota fiscal, como explica o diretor executivo da administração tributária, Vitor Manuel dos Santos Alves Júnior. De acordo com Vitor Manuel, o prejuízo aos cofres públicos pelo não pagamento do ICMS pode chegar a R$ 100 milhões.

226 agentes fiscais de rendas de 16 Delegacias Regionais Tributárias participam da operação Desvio de Rota, com visitas fiscais para a constatação da existência dessas operações irregulares. As supostas fraudes passaram a ser investigadas após consultas preliminares ao Fisco Paulista. As cidades da região que receberam a visita fiscal em empresas  suspeitas foram Campinas, Leme, Limeira, Americana, Nova Odessa, Piracicaba, Santa Barbara d’Oeste, Bragança Paulista e Itatiba.