Os endividados estão por toda parte em Campinas. Na região central, não é difícil encontrar quem esteja com uma fatura, boleto, ou carnê em atraso. A realidade é comprovada por um levantamento que mostra que 46,5% das famílias economicamente ativas da cidade estão com dívidas no comércio.

A pesquisa da Associação Comercial e Industrial leva em conta as pendências constantes no SCPC desde 2013 que não foram pagas até o meio do ano.

Os estabelecimentos perceberam a dificuldade dos consumidores em arcar com os compromissos financeiros. Resultado: menos crédito liberado pelos bancos. Com isso, o gerente de vendas de uma loja de móveis que fica na Rua 13 de Maio, Cristiano Ferreira, viu o movimento cair e precisou buscar alternativas. As contas atrasadas, ainda de acordo com a Acic, atingem quase 163 mil famílias. E na maioria desses casos, a única solução é tentar renegociar.

A alternativa é sugerida pela coordenadora do curso de Administração da Mackenzie Campinas, Leila Pellegrino, como o primeiro passo rumo ao alívio. O segundo é olhar com atenção para as receitas. Depois disso, principalmente com a proximidade do Natal, a palavra de ordem no cotidiano é planejamento.

Mas apesar da alta do endividamento em Campinas, também não faltam relatos de consumidores conscientes e que se utilizam dessas dicas todos os dias. Alguns tentam comprar tudo à vista ou parcelar somente valores baixos. Outros, mesmo dividindo várias vezes, só fazem a compra depois de planejar muito.

Os dados da Associação Comercial e Industrial de Campinas mostram ainda que o total de dívidas passa de R$ 252 milhões, cerca de R$ 1.550,00 por família. Os períodos das contas em atraso variam. De acordo com o levantamento, até 6 meses, chega a 42%, de 6 a 12 meses, 19,5%, e mais de 12 meses, 38,5%.