O CIATox (Laboratório de Toxicologia Analítica do Centro de Informação e Assistência Toxicológica de Campinas), instalado na Unicamp, está fazendo um alerta para o consumo de uma droga que começa a se difundir nas festas raves pelo Brasil e que tem, sérios riscos de morte. É a N-etilpentilona.

Trata-se de um psicotrópico sintético, usado de forma recreativa. O toxicologista e professor da Unicamp José Luiz da Costa, comentou que a N-etilpentilona pode ser encontrada em comprimidos ou em pó. Ela acaba sendo, segundo ele, um misto entre a cocaína e o ecstasy.

Recentemente, o laboratório fez análises toxicológicas que confirmaram a presença da droga sintética nas pessoas. Em um dos casos, um homem de 32 morreu depois de consumir o entorpecente em uma festa rave. Em outro, um homem de 35 anos consumiu álcool e outras drogas em sua própria casa, por dois dias consecutivos. Ele foi encontrado inconsciente, com depressão neurológica. O paciente recebeu alta 35 dias depois, em estado vegetativo com danos neurológicos.

Costa explicou que o consumo da N-etilpentilona pode provocar desde convulsões e alucinações a até mesmo um infarte ou AVC (Acidente Vascular Cerebral)

O entorpecente faz parte de uma lista de drogas catalogadas pela Anvisa (Agência Nacional de Saúde) em março de 2017, e já proibidas no Brasil.