A Rumo Logística, empresa que detém a concessão dos trilhos no trecho em que o Governo Paulista pretende criar o trem Intercidades, afirmou que a implantação de uma linha de passageiros na malha já existente só é viável entre Campinas e Jundiaí.

O plano, anunciado em 2012, é levar o Trem de São Paulo a Americana, num trajeto de 135 km, passando por Jundiaí e Campinas. O projeto seria feito através de parceria com a iniciativa privada.

O Mestre em transportes e professor de Engenharia Civil da Unicamp, Creso Peixoto, classificou como uma necessidade a de se retomar o modal ferroviário para o transporte de passageiros mas ressaltou que, para a empresa, o que gera lucro é o transporte de cargas. Com relação ao transporte de passageiros, ele acredita que o projeto deveria se estender ainda mais rumo ao interior paulista.

Em fevereiro desse ano o governo paulista anunciou o lançamento de um estudo para checar se é possível que o Trem Intercidades use os trilhos já existentes, que hoje só transportam cargas, o que tornaria o projeto mais viável economicamente. Para o Mestre em transportes o ideal é que os trilhos fossem usados durante o dia apenas para o transporte de passageiros e, na madrugada, para cargas. Segundo ele, o uso da malha ferroviária iria aliviar, e bem, as rodovias da região.

Ele, porém, também afirmou que há um fator negativo já que, de Campinas para Americana a linha do trem é simples e precisaria ser ampliada, gerando custos maiores.