Durante o Campetro Energy, em Campinas, cujo principal objetivo é fomentar a cadeia de petróleo, gás natural e energias renováveis, o Diretor Executivo da Petrobras, Nelson Silva, comentou a redução do preço da gasolina nas refinarias em 6,35% nesta semana.

A medida, anunciada pela Petrobras, representa o maior corte já feito pela estatal desde o começo da política de reajustes consecutivos do combustível, em julho do ano passado. Com isso, o valor médio do combustível passa para R$ 1,73 por litro, o menor valor desde 20 de abril, quando estava em R$ 1,72.

A queda nos preços desde setembro deste ano chega a 25%, mas de acordo com Nelson Silva, a Petrobras não tem como sugerir o preço para o consumidor nas bombas, porque o mercado é aberto e concorrencial e depende do critério de cada posto.

Ele explica que a queda desta semana ocorreu por causa da valorização do real em relação ao dólar e o enfraquecimento das referências internacionais do petróleo, que são os parâmetros para a definição de preços dos combustíveis.

O Petróleo será um dos temas em pauta no Congresso Nacional no próximo ano, com a polêmica discussão sobre a privatização da Petrobras, na análise do deputado federal eleito pelo Partido Novo, Alexis Fonteyne, que participou do Campetro Energy. O público-alvo do evento é de empresários, investidores, executivos e dirigentes do parque industrial.

Promovido nesta quarta-feira pelo Ciesp – regional Campinas  e o Departamento de Infraestrutura da Fiesp-Ciesp, na Expo Dom Pedro , tem como expectativa gerar para os participantes negócios em torno de R$ 10 milhões, dentro de um período de seis meses, de acordo com o Diretor titular do Ciesp-Campinas, José Nunes Filho.

Durante todo o evento, a carreta com a escola móvel do Senai ficou estacionada em frente ao Expo Dom Pedro, apresentando as novidades tecnológicas da indústria 4D, como automação industrial, Big Data, inteligência artificial e impressora 3D.