A Polícia Civil de Araguari, em Minas Gerais, afirmou, nesta quinta-feira, que o carro dirigido por uma jovem de 21 anos, sem habilitação, foi responsável pelo acidente que matou três pessoas da mesma família de Campinas na BR-050, entre Uberlândia e Araguari, em outubro passado. De acordo com a Polícia, a jovem que dirigia o Gol foi responsável pelo acidente. Ela deve ser indiciada por três homicídios qualificados e uma tentativa.

Em depoimento, as jovens que estavam no Gol contaram que antes do acidente estavam em uma festa em Uberlândia e que passaram a noite consumindo bebida alcoólica. Consta ainda no inquérito que no local também havia drogas.

De acordo com as informações da polícia, baseada em câmeras da rodovia, a jovem, começou a andar de forma irregular na BR-050. O motorista do outro carro, Alessandro, tentou ultrapassar, mas acabou atingido na lateral e foi jogado para a mata. O veículo foi encontrado dois dias depois em uma vala.

Apenas o filho de 6 anos sobreviveu. Ele esperou o resgate, sozinho, por quase 48 horas, e a família só foi encontrada pois ele pediu ajuda a um caminhoneiro na rodovia.

No Boletim de Ocorrência a informação é de que uma das garotas que estava no carro pegou carona e foi embora do local do acidente. A segunda foi socorrida e a condutora aguardou a polícia chegar. Segundo consta no BO, a jovem foi atendida na Unidade de Pronto Atendimento em Araguari portando uma substância semelhante à cocaína.

O pastor Alessandro Monare, de 37 anos, a esposa Belkis da Silva, de 35, e o filho mais velho do casal, Samuel da Silva Miguel Monare, de 8 anos morreram. Segundo consta no laudo, o médico legista aponta que Samuel morreu na hora do acidente. Já os pais sobreviveram por mais tempo. Alessandro pode ter morrido na tarde do acidente e a mãe, um dia depois da colisão.