Wilson Simonal a versatilidade de um artista Pop

0
379

Aquele cantor negro e simpático cheio de trejeitos sabia como ninguém entreter multidões. Já no início da carreira  enquanto seus contemporâneos da Bossa Nova cantavam comedidos. Ele mostrava personalidade, tanto que o título do seu disco de estréia em 1963, foi “ Simonal Tem Algo Mais ” era o  anuncio do que  vinha pela frete. Excelente voz, afinação incomparável, versatilidade nas interpretações, tanto em músicas românticas quanto as mais ritmadas,  as suas preferidas. A gravadora odeom logo percebeu que com aquela potencia vocal, só um acompanhamento tradicional de Bossa Nova não daria certo, Simonal iria precisar de uma orquestra inteira, que fosse capaz de abalar as estruturas. Quando foi levado ao emblemático Beco das Garrafas, em Copacabana pela dupla Luis Carlos  Mieli e Ronaldo Bóscoli. Esse tradicional ponto da boemia carioca era freqüentado por cronistas da madrugada, críticos musicais e donos de gravadora. E a partir de 1963 o lugar perderá de vez conotação intimista de boate e passara a se transformar em uma esfuziante gafieira.

Em 1965 já no terceiro disco, ele que já havia mostrado que era bom de balanço. E iniciou a incursão do que iria ser a MPM, música popular moderna. O seu som tinha uma  forte característica de misturar vários elementos e soar   algo novo. Parecia não existir mais limites para Wilson Simonal, ele  dava um show em teatros e  programas de televisão. Ele cantava, dançava,  fazia imitações, tocava piano e trompete .  Alem de reger o publico como um maestro.

A partir de 66 Simonal abriu um enorme leque de parcerias. Ele podia cantar musicas de compositores de origens opostas de Carlos Imperial a Vinicius de Moraes,. Ele passava com maestria pela Bossa Nova, IÊ,IÊ,IÊ, tropicália  e ritmos latinos que tudo soava com uma  identidade única e marcante de Simonal.

 

 

 

Segundo alguns escritores , o sucesso no Brasil e no exterior, trouxe muito dinheiro e Simonal  teve dificuldades em administrar tal quantidade. E em 1971 o desastrado episódio com o ex-contador  marcaria o inicio dos 30 anos de exclusão e que ele foi submetido. Que só terminaria em 2003 com a declaração oficial de sua inocência, que Simonal nunca testemunhou, pois havia morrido 3 anos antes.

O carioca Wilson Simonal de Castro, nascido em 1939 foi o primeiro artista pop do Brasil. Teve uma carreira inacreditável que viveu  do céu ao  inferno. Porém  ele foi mais do que tudo um artista musical, popular e brasileiro.

 

Acompanhe esta edição !

 

 

entre em contato

musicaecultura@cbncampinas.com.br

produção

Walmir Bortoletto

edição

Paulo Girardi