O suposto envolvimento do sobrinho do prefeito Jonas Donizette e secretário de governo, Michel Abrão Ferreira, no esquema de desvio de dinheiro do Hospital Ouro Verde provocou reação na Câmara de Campinas. Os vereadores independentes e de oposição já articulam para que o novo envolvido no escândalo possa prestar depoimentos. Nelson Hossri, do Podemos, já protocolou um requerimento para que o legislativo possa convocar o secretário para prestar esclarecimentos.

O nome de Michel Abrão Ferreira apareceu na delação de Daniel Câmara, que era diretor da Organização Social Vitale, que administrava o Hospital Ouro Verde. Segundo Câmara, Michel Abrão Ferreira teria efetuado a contratação de Mauricio Rosa para um cargo de diretoria na Secretaria Municipal de Saúde para implantar um esquema de propinas que seriam pagas por laboratórios privados. Para o vereador Marcelo Silva, do PSD, cada vez mais nomes do primeiro escalão do governo Jonas Donizette estão aparecendo em escândalos de corrupção.

A secretaria de relações institucionais da prefeitura negou as informações da delação premiada. Segundo a administração, Maurício Rosa foi contratado por critérios técnicos, sem indicação política. A reportagem procurou o presidente da Comissão Processante da Câmara, Luiz Henrique Cirilo, para comentar a delação do ex-diretor da Vitale, mas ele não se manifestou até o fechamento da reportagem.