A construção do Corredor BRT do Campo Grande em Campinas deixou os moradores de diversos bairros sem água nas últimas semanas. As escavações na Avenida John Boyd Dunlop romperam por três vezes adutoras e subadutoras. Casas e estabelecimentos ficaram desabastecidos.

O problema é que o serviço demora até dois dias pra ser restabelecido. Vani Regina conta que quem não tem caixa d’água precisa esperar. Além da falta de água, bairros como Jardim Florence, Residencial Cosmos, Parque Valença e Satélite Íris também sofreram com a lama.

Mas não só os moradores são prejudicados pelos incidentes na obra do corredor de ônibus. Os comerciantes também reclamam da situação. Dona de uma sorveteria que fica atrás da Escola Estadual Elvira de Pardo Meo Muraro, Maria Eliane da Silva faz as contas dos dias perdidos.

Em nota, a Sanasa respondeu que os técnicos mantêm contato com os agentes da Emdec e trabalhadores da empresa responsável pela obra. O comunicado afirma, porém, que isso não garante quem um eventual rompimento aconteça, já que algumas redes são antigas.

Ainda segundo o posicionamento oficial, as construtoras possuem o mapa das tubulações e técnicos também acompanham os trabalhos. Por fim, nega que a região tenha ficado dois dias sem água e justifica que, além de estancar os vazamentos, reativa o serviço em até 12 horas.

A Emdec, responsável pelo monitoramento da construção dos corredores do BRT, não enviou resposta até o fechamento desta reportagem.