A concessão de quase 900 pontos de ônibus em Campinas completa seis meses, e com isso, terminou o período de carência determinado em contrato. A partir de agora, a empresa que ganhou a licitação, a Verssat, deve começar a instalar os novos pontos, de acordo com as especificações, que são: assentos individuais, espaço para cadeirantes, entradas USB para carregamento de celulares e informações sobre as linhas que atendem o ponto.

Apesar das mudanças para o usuário ainda não terem sido implantadas, por causa do direito da empresa ao período de carência, os totens de publicidade já estão presentes em grande parte dos pontos.
O contrato permite que a empresa explore a publicidade nos abrigos e 6% do valor arrecadado é repassado à prefeitura.

Enquanto a empresa e a Prefeitura já estão lucrando, o abandono continua nos abrigos. O que mais incomoda o usuário é a proteção precária, e em muitos casos inexistente, contra sol e chuva, como conta a gerente de vendas, Léia Cordeiro.

Ismerina Silva acha que os pontos de ônibus de Campinas estão abandonados. O único ponto que contempla todas as especificações, que é o projeto piloto, fica em frente à Emdec, na Avenida do Sales de Oliveira,
Este ponto foi muito elogiado pelo usuário, Gerlicales Paixão de Freitas, mas ele cobra melhorias nos outros abrigos de ônibus da cidade.

O contrato prevê o pagamento de outorga no valor de R$ 2 milhões e 500 mil para uma concessão de 20 anos e a empresa investirá no período pouco mais de R$ 27 milhões na implantação e manutenção dos abrigos.
A previsão é de que os novos pontos sejam construídos em uma área de 5 quilômetros no entorno da região central de Campinas e nos corredores de ônibus da cidade.