Um procedimento aberto pela Prefeitura de Campinas deve aplicar penalidade contra a Lavanderia Greenlav Solutions, investigada pelo Ministério Público Estadual no desvio de verbas do Hospital Ouro Verde.

O procedimento se refere a uma interdição da Vigilância Sanitária, que aconteceu após uma vistoria em novembro, quando foi constatado que a empresa estava em desacordo com as normas de boas práticas de funcionamento e não possuía estrutura física adequada para o processamento de roupas hospitalares.

Em dezembro, a empresa voltou a atuar no serviço público, após se readequar às normas.

O dono da Greenlav, Felipe Braz Bernardes, foi preso na 3a fase da Operação Ouro Verde, por supostamente utilizar a lavanderia também para desvio de verba pública, com preços superfaturados dos serviços.