O corpo de Rykelmo de Souza Viana, de 16 anos, vítima do incêndio no Centro de Treinamento do Flamengo, no Rio de Janeiro, será sendo velado nesta manhã no Cemitério Parque, em Limeira. O sepultamento está marcado para as 13h.

Ele foi uma das 10 vítimas fatais da tragédia no ninho do urubu, como é chamado o centro de treinamento. Outros 3 ficaram feridos.

O Corpo foi reconhecido na noite de sábado. A família estava desde sexta no Rio de Janeiro.
Rykelmo nasceu em Limeira e era o mais velho dos meninos que morreram na tragédia. Ele completaria 17 anos no próximo dia 26.
Sua família mora no bairro Cecap.

Ele iniciou a carreira no futebol com seis anos na escolinha do Clube Atlético Paulistano, de Limeira. Segundo os professores, desde o início era visível que ele se tornaria um jogador de destaque.

Jogou na Portuguesa Santista, fez testes no Grêmio e depois um olheiro do Flamengo indicou Rykelmo para o clube, onde ele estava há 3 anos.

Rykelmo, que era chamado pelos amigos de Bolívia, participou da conquista do 8º Hamdan International Football Championship, disputado em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos.
Rykelmo era quieto, humilde, disciplinado e muito querido pelos amigos.

A tragédia no ninho do urubu ocorreu na madrugada da última sexta-feira e destruiu parte dos alojamentos enquanto jogadores que não moravam no Rio dormiam.

A suspeita foi de um curto-circuito no ar condicionado. Os alojamentos foram montados em conteineres interligados, que serviam de dormitórios.

De acordo com a Prefeitura do Rio de Janeiro, o dormitório não tinha licença municipal. A família, no entanto, não demonstra revolta contra o clube. De acordo com a mãe de Rykelmo, Rosana de Souza, o Flamengo está dando todo o apoio à família.