As obras do sistema de ônibus BRT já causaram seis rompimentos de adutoras e subadutoras em Campinas. Os problemas se repetem desde setembro de 2018. Somente na Avenida John Boyd Dunlop, foram cinco situações deste tipo. A última aconteceu no dia 13 de fevereiro na altura do Campus 2 da PUC.

O imprevisto não só atrasa os trabalhos, como também suspende o fornecimento de água. Desta vez, ao menos 10 bairros próximos foram afetados. Os reparos foram feitos pela Sanasa, mas os transtornos são inevitáveis durante o período sem o serviço. Os moradores reclamam da série de dificuldades.

Renilda Silva Leão já ficou sem água na torneira, diz reconhecer que os trabalhos são para melhorias, mas cobra mais cuidados na região afetada. Fábio Florêncio mora no Residencial Cosmos, já sofreu outras vezes e chegou a ficar dois dias sem água. Por isso também pede mais atenção nas obras.

O levantamento da CBN Campinas enumerou os problemas nas adutoras e subadutoras durante a construção dos corredores de ônibus nos últimos meses. Além de uma vez em setembro, a situação aconteceu três vezes em novembro e a última em fevereiro.  Em janeiro, o problema se deu na Avenida Ruy Rodriguez.

O professor do Departamento de Engenharia dos Transportes da Faculdade de Engenharia Civil da Unicamp, Doutor Diógenes Cortijo, vê omissão no projeto. A Emdec foi procurada para comentar o assunto, mas não enviou resposta até o fechamento da reportagem.