Três universidades estaduais paulistas, entre elas a Unicamp, devem parar de pagar salários acima do teto imediatamente e devem também devolver valores pagos irregularmente.

A medida cautelar foi solicitada pelo Ministério Público de Contas do Estado de São Paulo, que entrou com uma representação nesta quarta-feira.

De acordo com o documento, os reitores da USP, Unesp e Unicamp podem ser afastados em caso de descumprimento.

Ao menos R$ 17 milhões por ano foram pagos de maneira irregular nas três universidades. A instituição com maior parte da irregularidade é a Unesp, se considerados os valores do ano de 2015.

O salário dos servidores de São Paulo tem limite ao salário do governador, fixado em R$ 22,3 mil.

Os procuradores alegam que as universidades tem lesado os cofres públicos com as remunerações que extrapolam o teto.