O Caism da Unicamp completou nesta segunda-feira, 27, três semanas de fechamento da Unidade de Terapia Intensiva Neonatal e também da Semi-Intensiva Neonatal para novos pacientes. Na data as unidades seguiam com mais pacientes do que a capacidade, chegando a 106% de ocupação.

Nesta terça-feira, 28, houve melhora na UTI. Pela manhã eram 14 pacientes para 15 vagas. Porém, a Unidade de Terapia Semi-Intensiva seguia operando acima da capacidade, com 17 pacientes para 15 vagas. A expectativa da direção do hospital é que a situação melhore, e ocorra a reabertura da UTI nos próximos dias.

Também houve melhora no restante dos serviços prestados pelo Caism, e o atendimento ocorre normalmente. Grávidas que chegam ao local são atendidas, e partos são realizados. Outros setores do Caism não sofreram impacto com situação da ala Neonatal, conforme relata o autônomo Fábio Souza, marido de uma paciente. “Minha esposa acabou de passar por uma mastectomia, e agora fazendo o acompanhamento pós-operatório, e agora tudo normal, toda terça-feira ela passa por aqui, não estou vendo problema nenhum, está funcionando perfeitamente”, afirma.

Damiana da Silva trata é paciente regular do hospital, elogia o atendimento, e confirma que os problemas se restringem somente à UTI Neonatal. “O atendimento é maravilhoso. Está funcionando normalmente.”, contou ela, que passa por sessões de quimioterapia no Caism.

Em 7 de maio foi anunciada a interrupção por tempo indeterminado da internação de novas gestantes e/ou de recém-nascidos devido a persistente superlotação, que naquela data era de 115% das unidades obstétricas e 126% das unidades Neonatais do Hospital, chegando a picos de 140%.

O Caism solicitou na ocasião que os Serviços de Saúde e as gestantes procurassem outras unidades da cidade devido a impossibilidade de novas internações, tanto por transferência ou procura espontânea.