O trajeto pelos corredores de ônibus da Avenida Lix da Cunha, em Campinas, é repleto de ondulações e buracos. E a situação da via incomoda os passageiros. No sentido Anhanguera, o pior trecho é entre as paradas Alberto Sarmento e Balão do Tavares, onde as irregularidades obrigam os coletivos a desviarem. Quem utiliza o transporte público diariamente sabe das condições do pavimento. Adriano Carlos conta que é preciso se segurar dentro dos ônibus.

Há pontos com verdadeiras crateras devido ao tráfego pesado. Um deles fica na pista em direção à Anhanguera, pouco depois da Avenida Alberto Sarmento. Já no sentido contrário, para quem entra em Campinas, o trajeto dos ônibus é um pouco melhor. Mesmo assim, também há várias saliências e rachaduras. O ambulante Valmir de Toledo conhece todas as estações de transferência ao longo da Lix da Cunha e cita ainda falta de escoamento nos dias de chuva.

A Pasta de Serviços Públicos foi procurada sobre as condições e a possibilidade de implantação de concreto nos corredores, a exemplo de outras vias. Em nota através da assessoria de imprensa, a Secretaria prometeu que os reparos serão iniciados na Avenida Lix da Cunha até o dia 24 de maio. Conforme o comunicado, a avenida não está incluída no programa de recapeamento. E no momento, não há previsão de aplicação de concreto.