Os quatro primeiros meses de Marcos Bernardelli (PSDB) na presidência da Câmara são marcados por um aumento de gastos de 8% em relação ao mesmo período do ano anterior, quando a casa ainda estava sob o comando de Rafa Zimbaldi (PSB), que deixou a câmara para assumir mandato de Deputado Estadual. O gasto no primeiro quadrimestre de 2019 foi de R$ 32.276.710,74, contra R$ 29.869.513,10 no mesmo período de 2018.

Em Janeiro deste ano, a administração Marcos Bernardelli gastou R$ 7.203.361,00. O número baixou para R$ 6.640.390,39 em Fevereiro. Em Março os gastos subiram para R$ 8.232.989,43. Em abril, novo crescimento, para R$ 9.651.489,96, sendo este o mês com maior aumento na comparação com o ano anterior: Os gastos subiram 26%, pois em abril de 2018 a Câmara gastou R$ 7.137.678,56, uma diferença de pouco mais de R$ 2,5 milhões.

Apesar do aumento, os gastos ficaram dentro do orçamento da câmara. O limite orçamentário para o período era de R$ 45.240.100,00, já que o orçamento mensal da Câmara em 2019 é de R$ 11.310.025,00. No ano passado o orçamento mensal era um pouco menor: R$ 11.115.775,00.

Em 2018, ainda sob o comando de Rafa Zimbaldi, o gasto no primeiro quadrimestre foi de R$ 29.869.513,10, para um orçamento de R$ 44.463.100,00, orçamento 1,74% menor que o deste ano. Todos os números estão disponíveis no portal da transparência do site da Câmara de Campinas.

Em nota a Câmara informou que em abril de 2018 não se concretizou a liquidação de despesa referente ao Déficit mensal dos aposentados do Fundo Financeiro pago ao Camprev, uma vez que o custo do déficit de abril foi liquidado no início de maio.

A Câmara ressaltou que este déficit é apurado mensalmente e encaminhado para a Câmara Municipal para repasse até o dia 20 do mês seguinte, e nem sempre o Ofício de cobrança chega dentro do próprio mês de referência.

Já em abril de 2019 ocorreram duas liquidações de valores de déficit, referente ao mês de março e do próprio mês de abril. Segundo a câmara, se as liquidações tivessem ocorrido dentro dos meses de competência, teríamos o seguinte cenário:

  • Abril de 2018 gasto de R$ 8.325.843,07 (acrescido do déficit de abril/2018 no valor de R$ 1.188.164,51), ao invés dos R$ 7.137.678,56 registrados.
  • Abril de 2019 – gasto de R$ 8.346.252,00 (reduzido do déficit de março/2019 no valor de R$1.305.237,96), ao invés do R$ 9.651.489,96 registrados.

Dessa forma, o aumento real nessa comparação de abril 2018 x abril de 2019, segundo a Câmara, foi de apenas 0,24%, justificado pela aplicação de correção inflacionária em contratos de prestação de serviços.

Com isso, segundo a Câmara, a diferença de gastos entre o primeiro quadrimestre de 2018 e o de 2019 seria de 2,15%, e não os 8% registrados oficialmente, o que se justificaria pela aplicação de correção inflacionária em contratos de prestação de serviços.