Um Centro de Operação e Inteligência, composto por um sistema moderno de 40 Câmeras de Vigilância, foi inaugurado em Jaguariúna, com o objetivo de reduzir os índices de criminalidade no município. O sistema vem em boa hora, já que a cidade está entre as 10 que mais tiveram crescimento na exposição à criminalidade em 2018, quando comparado ao ano anterior. O levantamento foi feito pelo Instituto Sou da Paz, a partir de indicadores da secretaria de segurança pública do estado, que analisa cidade com população superior a 50 mil habitantes.

Em Jaguariúna, por exemplo, os crimes mais graves registraram crescimento no período analisado. Em 2017, houve um homicídio na cidade e no ano seguinte foram três registros. Os estupros passaram de 12 para 14, o roubo de carga de cinco para seis e o roubo e furto de veículos de 146 para 167. Somente no primeiro trimestre deste ano, Jaguariúna teve um homicídio, três estupros e 34 roubos ou furtos de veículos. Nos três primeiros meses de 2019, não houve roubo de carga no município.

A Central de Jaguariúna vai fazer o monitoramento das principais ruas, avenidas, do comércio e dos locais de maior movimento na cidade. A sala do Centro de Operação e Inteligência é equipada com 8 monitores com 49 polegadas cada, onde é possível visualizar imagens captadas a uma distância de até 2 Km. O prefeito de Jaguariúna, Gustavo Reis, destacou a importância da integração dos municípios da RMC no combate à violência. Ele afirma que a central recém-inaugurada no município também vai integrar a rede metropolitana, otimizando o serviço de monitoramento que está crescendo na região.

O custo mensal para manter o equipamento funcionando é de R$ 68 mil e inclui a central de imagens.