O Parque Hopi Hari, em Vinhedo, passa por uma nova mudança na direção após decisão judicial. Em protesto contra a decisão, um grupo de cerca de 100 pessoas, que incluía funcionários e parentes de funcionários, se reuniu em frente ao empreendimento e realizou uma manifestação na tarde desta terça-feira, 28.

O então diretor José David Xavier, que administrava o Hopi Hari desde 2017, quando teve início o processo de recuperação judicial, foi destituído da administração após a ordem judicial, que foi emitida pela 1ª Vara Empresarial de São Paulo no início da semana.

Xavier possui 5% das ações do empreendimento, e afirma que o afastamento dele é uma manobra de parte dos acionistas para desviar dinheiro e levar o negócio a falência. Ele afirma que provará isso na segunda instância do judiciário.

Quem está por trás da ação que destituiu Xavier é a empresa IG, dirigida pelo português Nuno Vasconcellos. O IG e José Luiz Abdalla travam uma batalha judicial pelo controle acionário do empreendimento.

O advogado que trabalha na recuperação judicial do Hopi Hari, Sérgio Emerenciano, explica a mudança na direção. “É uma questão entre os acionistas, eles tinham uma disputa judicial já quando o parque foi reativado, e ele foi reativado tendo como base a aquisição de 75% por um bloco de acionistas e a nomeação de uma diretoria. Alguns meses após a reativação um ex-controlador entrou com ação judicial querendo questionar essa venda, e a justiça reconheceu a validação dessa venda desse bloco majoritário de ações da companhia Hopi Hari, em paralelo à isso os acionistas também deliberaram em fazer a troca da diretoria, o que não se conflita necessariamente com a recuperação judicial propriamente”, explica.

Emerenciano afirma que o parque seguirá funcionando normalmente com a nova diretoria. A alteração no comando traz consigo a expectativa quanto ao novo plano recuperação judicial do empreendimento que deverá ser apresentado aos credores próximo mês. Caso o novo plano de recuperação judicial seja aprovado, o plano vigente perde sua validade automaticamente.

A diretoria destituída e a nova direção do parque se manifestaram por meio de notas à imprensa. A nota da direção destituída afirma que no fim da tarde de segunda-feira (27), o Hopi Hari foi tomado pelo grupo ligado à empresa IG, de Nuno Vasconcellos, que impediu a diretoria de entrar no parque para trabalhar na terça-feira. A nota afirma que os funcionários foram ameaçados de demissão por justa causa caso não entrassem no parque para trabalhar.

Atualmente, segundo a direção destituída, o Hopi Hari abre as portas de quinta-feira a domingo 100% revitalizado, com 98% das atrações funcionando, mais de 600 funcionários diretos e indiretos, e aumento de público de 100% entre janeiro e abril em comparação ao mesmo período do ano passado.

A nova direção informou por meio de nota que a justiça determinou ontem a posse dos diretores eleitos no programa de recuperação judicial, que estavam impedidos de entrar nas dependências do Parque, e que a ordem foi cumprida nesta terça-feira, e a nova gestão já está empossada.

Quem passa a presidir o empreendimento é Alexandre Rodrigues. A nova administração afirma que todos os postos de trabalho serão mantidos, e que deseja superar essa fase de transição, a fim de que o Hopi Hari siga prosperando.