A Polícia Civil de Hortolândia quer ouvir a vítima e quatro acusados de sequestro para chegar a outros possíveis criminosos e por isso não descarta novas prisões. Até o momento, somente a mulher que teria emprestado a casa para servir de cativeiro foi interrogada por cerca de duas horas. No depoimento, confirmou a participação.

De acordo com o delegado titular do 2º Distrito Policial, Diego Bini, ela não ficou no imóvel, mas detalhou que chegou a estar com a vítima no local por alguns momentos. Ela é namorada de um dos quatro homens presos, que também confessaram o crime. Todos serão acusados por extorsão mediante sequestro e associação criminosa.

O caso aconteceu no último dia 23, quando o filho de um empresário de Hortolândia foi rendido pela manhã e ficou em poder dos bandidos até o final da tarde. A quadrilha pediu resgate de R$ 1 milhão e a família chegou a pagar parte do valor. A vítima foi libertada e seguiu para a delegacia, onde detalhou lugares onde esteve.

Com essas informações, os policiais fizeram diligências no Jardim Amanda 2 e uma caminhonete usada no sequestro foi vista no bairro. Um dos suspeitos foi detido. Ele guiou os policiais até o cativeiro e os demais sequestradores foram presos. O delegado titular do 2º DP, Diego Bini, diz que o foco agora é investigar se há mais envolvidos.

A polícia diz que o sequestro foi arquitetado com base em informações privilegiadas de um dos envolvidos, que seria parente de um funcionário da família da vítima. Além disso, informou que parte do dinheiro do resgate foi recuperada e que um dos homens presos já possui ficha criminal. Os cinco acusados estão presos temporariamente.