O Projeto de Lei do Executivo que cria o Programa Mais Médicos Campineiro passa por análise pela Comissão Permanente de Constituição e Legalidade da Câmara de Campinas, numa reunião extraordinária nesta quinta-feira. O plano tem como objetivo fomentar a formação de médicos para o Programa de Saúde da Família para atendimento à população nas unidades básicas de saúde.

O Programa, que é valido por dois anos, prevê a criação de 120 vagas com bolsas de R$ 11 mil mensais custeadas pela Prefeitura de Campinas e uma carga horária de 40 horas semanais, sendo 36 horas no centro de saúde e 4 horas de estudos.

O projeto determina que a qualificação dos profissionais será realizado por meio de curso de especialização lato sensu ou programa de residência médica, ministrados em parceria com as Faculdades de Medicina da Unicamp, Puccamp e São Leopoldo Mandic, e com a Rede Mário Gatti de Urgência, Emergência e Hospitalar.