Os proprietários de uma retífica de motores que fica na Vila Padre Anchieta e de um minimercado no bairro São Jorge, em Campinas, foram detidos em uma nova operação contra o furto de energia cumprida na cidade pela Polícia Civil.

Com apoio da CPFL Paulista, a ação encontrou irregularidades nos dois imóveis. Foram constatadas a adulteração nos medidores e a manipulação dos mecanismos internos do sistema. Outros dois locais também seriam vistoriados.

Todos os endereços visitados pelos policiais e os funcionários da empresa possuem histórico de consumo suspeito. Esta é a segunda operação feita contra as fraudes em Campinas. Na primeira, em 22 de maio, 17 pessoas foram presas.

Na ocasião, ao divulgar o balanço dos trabalhos, o delegado da 1ª Delegacia Seccional de Campinas, Roberto José Daher, confirmou que a intenção era fazer as ações mensalmente a partir da lista de estabelecimentos feita pela CPFL.

O furto de energia é considerado crime contra patrimônio e pode resultar em até quatro anos de prisão. Os donos dos comércios flagrados com irregularidades nesta sexta foram conduzidos ao 8º Distrito Policial do município.