O secretário de Cultura de Campinas, Ney Carrasco, confirmou que não existe previsão para a abertura da licitação da reforma do Centro de Convivência. O processo foi suspenso pela terceira vez no ano no dia 12 de abril e até o momento continua parado após um pedido da Secretaria de Infraestrutura.

A solicitação foi feita para que os questionamentos técnicos feitos pelas empresas interessadas na execução da obra fossem respondidos pela pasta. Sem ter um prazo em mãos para a reabertura do certame, o responsável pela cultura municipal diz não ter como prever o andamento das etapas legais.

Além do atual adiamento, que já passa de dois meses, outra suspensão já havia ocorrido em janeiro e uma mudança no edital também foi feita em março. Com isso, o custo da reforma do espaço no Cambuí foi para R$ 41,4 milhões, R$ 413,6 mil acima do previsto inicialmente no documento lançado pela Prefeitura.

O valor, alterado também em função de questões de alguns interessados, foi garantido por meio de convênio assinado com o Governo do Estado em 2018. Questionado se o repasse já estava garantido, o secretário alegou que a primeira cota deve ser liberada em breve. Porém, não detalhou quantia, ou a data exata.

Presente na reunião da Comissão Permanente de Cultura na Câmara de Campinas, Carrasco ouviu dos vereadores que um requerimento seria feito. O documento a ser destinado ao prefeito vai cobrar uma resposta sobre a reforma do local, que está fechado desde 2011 e apresenta sinais de degradação.