No inverno, a incidência de doenças respiratórias como asma e bronquite, aumenta cerca de 40%. Além do frio, nessa época do ano a umidade relativa do ar fica mais baixa, o que contribui ainda mais para desencadear essas doenças. A médica pneumologista do hospital da PUC Campinas, Deborah Patrocínio, explica que essas condições climáticas geram maior agressão aos brônquios.

De acordo com Deborah, quem tem asma precisa usar a medicação preventiva e evitar mudanças bruscas de temperatura, como sair no frio após um banho quente, e ambientes empoeirados. A médica orienta ainda manter em dia a limpeza da casa, o que  contribui para reduzir a manifestação das alergias típicas do período.

Cuidados que estão na rotina da moradora de Campinas, Izilda Roncolato. A vendedora, Dora de Jesus, é alérgica, e por isso sempre mantém a casa limpa. Mesmo quem tem boa resistência, como o vigilante João Carlos de Araújo, tenta evitar mudanças bruscas de temperatura, para evitar as doenças típicas do inverno.

Outras dicas importantes para evitar crises respiratórias, é trocar o espanador pelo pano úmido, e a vassoura pelo aspirador, para eliminar de forma mais eficiente a poeira.  Lavar os bichos de pelúcia, tapetes, cortinas e edredons, além de deixar a luz entrar, com janelas abertas para arejar os espaços.