Os vereadores Gustavo Petta, do PC do B, e Tenente Santini, do PSD, acionaram o Ministério Público na tentativa de suspender o reajuste na tarifa de ônibus em Campinas. Desde o início desta semana, o preço da passagem custa R$ 4,95 e o Bilhete Único agora passou para R$ 4,55. No caso do Tenente Santini, o parlamentar ajuizou uma ação popular alegando que o conselho municipal de trânsito deveria ter sido consultado, além de questionar todos os pretextos apresentados como justificativa para o aumento. Esses motivos alegados pela Emdec foram o aumento do óleo diesel, reajuste dos salários dos trabalhadores e a inflação do período.

Santini sustenta ainda que as planilhas e os estudos elaborados pela Emdec para fundamentar o reajuste da tarifa não foram publicados, conforme determina a legislação. Segundo o parlamentar, o questionamento sobre o reajuste, além de ter uma motivação jurídica relacionada à legalidade do processo, há também uma motivação social, uma vez que o campineiro vem pagando a conta. Ele lembra de outros aumentos que pesaram no bolso do cidadão, como o IPTU e a água.

Gustavo Petta participou de reuniões no MP e apresentou os mesmos questionamento de Santini. Ele ainda acrescentou que Campinas tem uma das passagens mais caras do país, muitos veículos sem qualidade e sem cobradores. O aumento é maior que o reajuste dos servidores, por exemplo, que foi proposto pelo prefeito. Petta disse ainda que há no Ministério Público um questionamento sobre o reajuste da tarifa aplicado em 2014, apontando essas mesmas irregularidades. Ele afirma ter pedido urgência nesta análise, que poderá cancelar os reajustes aplicados em Campinas nos últimos cinco anos.

Em nota, a Emdec informou que respeita o trabalho e o papel dos vereadores e da Câmara Municipal. A empresa esclareceu que a recomposição do valor da tarifa do transporte público coletivo de Campinas ocorre após o período de um ano e meio do último reajuste, em janeiro de 2018  e ficou abaixo da inflação no período de janeiro de 2018 a maio de 2019, medida pelo IPCA, que foi de 6,05%.