Campinas tem três mortes confirmadas por Febre Maculosa em 2019, e outras três por H1n1. A informação foi dada pela Prefeitura de Campinas nesta quinta-feira (15). Há ainda mais um caso suspeito de morte por febre maculosa, o de uma mulher de 60 anos, moradora da região norte da cidade, que faleceu em um hospital privado da cidade no último domingo, dia 11 de agosto. Os exames foram encaminhados ao laboratório do Instituto Adolfo Lutz, e não há prazo para determinação do resultado. Este ano Campinas tem seis casos confirmados de febre maculosa, com três óbitos. Em 2018 foram 10 casos, com quatro mortes.

Quanto aos registros de H1N1, eles entram na conta dos casos de SRAG, a (Síndrome Respiratória Aguda Grave). Foram 780 notificações do tipo neste ano na cidade, sendo 36 positivos para Influenza . Desses 36, foram confirmados 20 casos de H1N1; 12 de H3N2; e 4 do vírus da gripe tipo B.

Todas as três mortes por SRAG foram por H1N1, e tiveram mulheres de grupos de risco como vítimas. Uma mulher de 63 anos que era diabética e sofria de doenças pulmonares, falecida em 27 de maio; Uma de 33 anos que sofria de problemas do coração e morreu em 25 de junho; e uma idosa de 84 anos que era diabética, sendo este o caso mais recente, ocorrido em 26 de julho. A Prefeitura afirma que o número de casos dos variados tipos de gripe vêm caindo, devido ao final do período de sazonalidade da doença.