Empresário precisa se preocupar mais com as habilidades comportamentais

O Brasil é um dos países com maior número de empreendedores. A decisão de investir no próprio negócio vem da vontade própria ou pela mudança de comportamento do mercado, onde os empregos com carteira assinada estão ficando cada vez mais raros. Muitas vezes, esta transição acabado sendo feita de forma apressada, sem que o empreendedor tenha tempo necessário de se preparar para os novos desafios, como lidar com funcionários, desenvolver e implantar projetos e executá-los de forma correta e eficaz.

As habilidades técnicas vão passando ao longo do tempo e sendo substituídas até por robôs. Mas o robô nunca vai poder sentir o que a gente sente e nunca vai trazer as emoções que o ser humano tem

Segundo o consultor de empresas Renato Squaiella, profissional com 28 anos de carreira em níveis de gestão e executivo em multinacionais, para que um pequeno e médio empresário, um empreendedor ou profissional liberal atinja o sucesso, ele precisa ter um viés comportamental e não só depender das habilidades técnicas. “As habilidades técnicas vão passando ao longo do tempo e sendo substituídas até por robôs. Mas o robô nunca vai poder sentir o que a gente sente e nunca vai trazer as emoções que o ser humano tem”, recomenda.

Squaiella, um dos entrevistados do Programa Um a Um com Eduardo Santana, cita como exemplo o famoso planejamento estratégico feito pela maioria das pessoas antes de implantar o seu negócio. “Esses vão para o papel, mas se perdem ao longo do tempo por falta de habilidades comportamentais, de estimular criatividade, de ter comunicação e feedback de sua equipe, de trabalhar a criatividade nas equipes, de buscar o comprometimento e não só envolvimento de seus colaboradores”, ensina.

Dentro de seu negócio, Squaiella conta que o ponto de partida com empresários que buscam uma solução para seus problemas é trabalhar um Business Plan de forma concisa, coerente, para que haja comprometimento e execução do começo ao fim. “Somos ótimos em iniciativas, mas o empresário é péssimo em acabativas”, completa.

Squaiella também lembra o empreendedor sobre a importância do Networking em sua vida profissional “É muito importante não apenas pelos contatos profissionais. No meu caso dou muito valor para isso. Eu avalio muito e tenho estas experiências comportamentais das pessoas com que eu me relaciono. Você pega casos diferentes e distintos que aprendo muito”.

Veja a entrevista do consultor de empresas Renato Squaiella na página www.programaumaum.com.br e acesse o Podcast onde ele dá mais dicas e curiosidades que podem fazer a diferença no seu negócio.