O prefeito de Campinas, Jonas Donizette, do PSB, entregou pessoalmente na Câmara dois projetos de lei que criam, ao todo, mil e cem vagas no município. Um dos textos do Executivo dispõe sobre a autorização para a Administração realizar até 600 contratações emergenciais para a Rede Mário Gatti de Saúde.

O outro estabelece a criação de 500 cargos de agentes de educação infantil para a rede municipal de ensino. Os dois devem ser votados em pelo menos 45 dias. Apesar dos números estipulados nas propostas, Jonas ainda não sabe quantas pessoas serão convocadas inicialmente para cada um dos setores públicos.

Para a Rede Mário Gatti, por exemplo, relaciona o total de vagas temporárias à necessidade do momento. Como exemplo, cita a falta de pediatras na cidade. Se o projeto for sancionado, a Prefeitura deve lançar um edital especificando o processo seletivo. A contratação será pelo prazo máximo de 12 meses.

Já para agentes de educação infantil, com demanda alta devido a aposentadorias e abertura de creches, será necessário um concurso público. Neste caso, Jonas quer propor um teste de aptidão. Segundo ele, com a alta do desemprego, o processo vai atrair pessoas com outras formações e carreiras.

A tramitação no Legislativo, segundo o presidente da Casa, Marcos Bernardelli, do PSDB, deve levar no máximo 60 dias até ser votada em Plenário.