A prefeitura de Nova Odessa fez um levantamento em todos os prontuários da rede municipal de saúde e constatou cerca de 140 mil documentos. O problema é que a cidade conta com uma população de 60 mil moradores. Ou seja, o número de pacientes na rede municipal é mais que o dobro da população. Diante dos números a administração municipal vai restringir o atendimento, via  SUS, a moradores de outras cidades.

O Secretario de Saúde de Nova Odessa, Vanderlei Cocato, explicou que a medida é valida para toda a rede municipal exceto para o Pronto Socorro que continua de portas abertas para atender qualquer cidadão, seja do município ou não.

O recadastramento é feito de segunda a sexta-feira, a partir das 7h , na Avenida Eddy de Freitas Crissiúma, 150, atrás do Hospital e Maternidade Municipal e da prefeitura.
O recadastramento continua sendo feito, inclusive com plantões nos finais de semana, inclusive para pessoas que comprovadamente trabalham em Nova Odessa e mora em outra cidade.

Para o advogado Paulo Braga , especialista em Direito Administrativo a medida adotada pela prefeitura de Nova Odessa é ilegal e fere o que preconiza o Sistema Único de Saúde, o SUS. O advogado explica que qualquer cidadão que se sentir desrespeitado poderá entrar na justiça e acionar o Ministério Público.