Um inquérito para apurar a conduta do pai de um dos adolescentes suspeitos de espancar um jovem de 17 anos no último dia 2, foi aberto pela Polícia Civil de Campinas. O jovem foi espancado por três adolescentes quando saída da casa dele, que fica próxima à Sociedade Hípica de Campinas e câmeras externas de vigilância do clube teriam gravado a ocorrência.

O pai da vítima, Paulo Mendes, alega que as câmeras teriam gravado a movimentação do pai de um dos menores levando os adolescentes no carro dele ao local da emboscada, dando assistência à agressão. Já, a defesa do pai do menor agressor alega situação oposta, ou seja, que as imagens captadas pelas câmeras mostram o desespero do pai ao perceber a agressão.

A defesa informou ainda que entrou em contato com a família da vítima para prestar solidariedade e para arcar com os gastos decorrentes desta ocorrência. A vítima sofreu várias fraturas, com afundamento do globo ocular e risco de perda da visão. A ocorrência teve grande repercussão nas redes sociais porque o pai do menor agressor é um advogado criminalista muito conhecido na cidade.

A investigação será feita pelo 13º Distrito Policial, no Cambuí. A Polícia quer saber por que o advogado levou os três adolescentes ao local e depois não socorreu o jovem machucado. O caso também está sendo acompanhado pelo Ministério Público por meio da promotoria da Vara da Infância e Juventude.