A Prefeitura de Campinas liberou nesta quinta-feira mais um trecho do BRT de quase dois quilômetros, na Avenida das Amoreiras. Ele fica entre o viaduto da Rodovia Anhanguera até o futuro terminal do BRT Campos Elíseos, após a Vila Rica. De acordo com Carlos José Barreiro, Presidente da Emdec e Secretário de Transportes de Campinas, com a liberação, o local para a ter duas faixas de rolamento de cada lado, com corredor de pavimento de concreto rígido, onde os ônibus do transporte público de passageiros também terão circulação liberada.

Este é o quarto trecho do BRT liberado desde o início das obras. Com isso, são 10 quilômetros entregues de um total de 36. Ou seja, um terço da obra está pronto, com prazo de entrega final para julho de 2020. Este local é o campeão de reclamações por causa do congestionamento causado pelas obras. Era comum flagrar passageiros descendo dos ônibus para fazer o trajeto a pé, por causa do tráfego travado no trecho.

Para o prefeito de Campinas, Jonas Donizette, esta fase acabou e o sacrifício valeu a pena. Os trechos estão sendo liberados em etapas para garantir à população o menor impacto possível no trânsito. De acordo com Jonas Donizette, a Caixa Econômica Federal tem como hábito liberar a inauguração apenas na conclusão da obra e foi preciso uma negociação para obter uma exceção neste caso.

A obra do BRT conta com um investimento de R$ 451 milhões. São 36 quilômetros de corredores que ligam a região central aos distritos do Ouro Verde e do Campo Grande. Ao todo, 38 estações de transferência serão construídas, além de cinco terminais e 16 pontes e viadutos. A obra inclui uma ponte estaiada, que será a primeira de Campinas e fica perto do Terminal Rodoviário.