Nos últimos meses, a população de Campinas tem acompanhado um enfrentamento mais firme entre vereadores que integram ou não a base de apoio ao governo Jonas Donizette. Com o acirramento das discussões, sobre variados temas, algumas ações de parlamentares são apontadas como extrapoladas. Nas últimas semanas, os vereadores Tenente Santini, do PSD, e Paulo Galtério, do PSB, trocaram acusações fortes na tribuna da Casa, o que fez com que os parlamentares acelerassem a discussão sobre o projeto que institui um código de ética parlamentar. Deste modo, a Câmara pretende pôr fim a esses excessos e restabelecer a civilidade à atividade parlamentar.

O código definiria então quando uma situação pode ser considerada quebra de decoro, além de prever as punições, que podem ir de censura pública, afastamento, até perda de mandato. O projeto, de autoria do então Vereador Rafa Zimbaldi, do PSB, estava engavetado na Câmara e somente após as polêmicas, foi reconduzido às discussões. Eleito deputado estadual nas últimas eleições, Zimbaldi acompanha da Assembleia Legislativa o desenrolar da questão. Ele afirma que o código ainda é uma novidade na esfera municipal, mas é um mecanismo importante para estabelecer direitos e deveres dos parlamentares. A expectativa é de que o código de ética parlamentar da Câmara de Campinas entre na pauta da sessão do próximo dia 18.